domingo, 13 de dezembro de 2009

Ecos ainda vivos do Natal medieval reacendem a alegria pelo nascimento do Menino Jesus

As feiras de Natal que ainda se desenvolvem em cidades alemãs, austríacas e alsacianas trazem um eco saudoso e requintado da feliz era que começou a comemorar o Natal em grande estilo: a Idade Média, noticiou a rádio “Deutsche Welle”.

Cheiro de ervas, amêndoas torradas, vinho, cravo, canela, incenso e resina de pinheiro, enfeites natalinos falam não só ao corpo mas sobre tudo à alma.



Eles fazem reviver as profundas alegrias da infância. Alegrias que a festa do nascimento do Menino Jesus reaviva em toda alma reta.

Luz de vela, utensílios de madeira: tudo relembra o aspecto material rude da Gruta de Belém, e, ao mesmo tempo a insondável luz sobrenatural da graça, do cântico dos anjos, da alegria ingênua e enlevada dos pastores, do maravilhamento entusiasmado dos Reis do Oriente.


Rudes também foram os tempos medievais em que começou a se definir a tradição das feiras de Natal.

Foram tempos de invasões pagãs, de esboroamento do Império Romano cristianizado, de anarquia feudal.

Foi um tempo em que homens como Carlos Magno, imperador e guerreiro, tinham alma para verter lágrimas de ternura e veneração ajoelhados aos pés do presépio.

Então tornava-se realidade palpável o cântico dos anjos: “Glória a Deus no alto dos Céus e paz na terra aos homens de boa vontade!”

Clique para ouvir “Glória a Deus no alto dos Céus e paz na terra aos homens de boa vontade!”:

Como é diferente da banalidade material do Natal comercializado e massificado! Numa só palavra: descristianizado!




AS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.