domingo, 7 de julho de 2013

Erradicação do analfabetismo: fruto da devoção a Jesus Cristo

Carlos II, o Calvo, rei dos francos

Os avanços culturais medievais brotaram de almas que aspiravam, sob o influxo da graça divina, ao triunfo do ideal católico no mundo, observou o professor americano Thomas E. Woods.

Alcuíno, abade de York que foi uma espécie de ministro da Educação de Carlos Magno, traduziu essa apetência coletiva numa carta ao imperador:

“Uma nova Atenas será criada na França por nós.

“Uma Atenas mais bela do que a antiga, enobrecida pelos ensinamentos de Cristo, superará a sabedoria da Academia.


“Os antigos só têm as disciplinas de Platão como mestre, e eles ainda resplandecem inspirados pelas sete artes liberais.

“Mas os nossos serão mais do que enriquecidos sete vezes com a plenitude do Espírito Santo e deixarão na sombra toda a dignidade da sabedoria mundana dos antigos”
.
Estátua de Carlos Magno, venerado como Beato na Catedral de Metz, França-


São João Crisóstomo narra que o povo de Antioquia enviava os filhos para serem educados pelos monges.

São Bento instruiu filhos da nobreza romana e ordenou que seus mosteiros abrigassem escolas, não só para ensinar a religião, mas as letras e as artes.

São Bonifácio e Santo Agostinho ordenaram a seus religiosos criar estabelecimentos de ensino por toda parte.

São Patrício desenvolveu a alfabetização na Irlanda.

Carlos Magno mandou abrir escolas gratuitas em todo império, que além da instrução deviam fornecer alimento e agasalho às crianças, não podendo receber nada em troca.

O imperador mandou vir da Grécia as grandes obras dos clássicos gregos e latinos, e transcrevé-las em livros novos que podiam ser recopiados indefinidamente.

São Beda, o Venerável: o maior historiador
dos primeiros séculos do cristianismo.
Os beneditinos foram grandes mestres que tiraram
os povos bárbaros da ignorância
E até criou as letras minúsculas, a chamada minúscula carolíngia, pois até então só se escrevia com maiúsculas e sem pontuação como era o costume deixado pelos romanos. Essa novidade favoreceu muito a leitura.

Concílios locais, como o sínodo de Baviera (798) e os de Châlons (813) e Aix (816), ordenaram que se fundassem casas de ensino.

Theodulfo, bispo de Orleans e abade de Fleury, exortava:  

“Em aldeias e cidades, os sacerdotes devem abrir escolas. [...] 

Que não peçam pagamento; e se recebem algo, que sejam somente pequenos presentes oferecidos pelos pais”.

Que diferença a com a nossa época, em que frequentemente a educação pública é calamitosa e a educação privada é cara para muitos!


AS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

3 comentários:

Anônimo disse...

Belíssimo e instrutivo blog. Parabéns e que a Virgem Santíssima e o Senhor Jesus Cristo os abençoe!

Marcelo Waddington disse...













Estou conhecendo agora o site. Estou achando interessante, e hilários os posts. A idade média foi, como ontem foi. Impossível modificar, ou praticar silogismos de natureza especulativa, tais como "se isso tivesse sido..." ou "Se fulano tivesse agido diferentemente...'. Não foi e não agiu, ponto final. As coisas são como elas são, não como desejamos que sejam. O que é possível é perceber por que foram como foram para, agora, agir de forma diferente, na tentativa de estruturar o futuro mais de acordo com o que se deseja.



Francisco Guilherme disse...

'Seu' Marcelo Waddington, talvez você tenha entendido errado. Aqui não se trata de querer mudar o passado; todos esses posts são baseados em descobertas de historiadores modernos(alguns católicos, outros não e alguns até anticatólicos, que, por sinal, não têm sardinha nenhuma para puxar p/ a Igreja ou p/ a Idade Média) que, não por acaso, fazem afronta c/ o que a gente costuma aprender na escola e/ou nas universidades: muito(para não dizer TUDO) do que a gente aprende nesses meios nada mais é do que um conjunto de estereótipos iluministas, reiterados pelos comunistas da Revolução Russa e de revoluções comunistas consequentes e que, diga-se de passagem, agrada aos ideais da esquerda reinante do nosso país. Esquerda essa que, a bem da verdade, não quer que a gente aprenda os FATOS(i.é. nesse caso específico, o que é cientificamente comprovado a respeito da Idade Média, além de outros assuntos relacionados a História e as ciências humanas em geral), mas, na verdade, quer que a gente aprenda sua própria ideologia para que, assim, nos tornemos "fantoches" do Estado centralizador e paternalista que o nosso País tem!

PS.:Uma dica: mude seus conceitos, para o seu próprio bem. Eu já mudei os meus e lhe recomendo! ;)

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.