domingo, 24 de fevereiro de 2013

Dos licores aos Hospitais: os frutos incontáveis da obra de São Bento

São Bento, Biblioteca Nacional de Budapest
“Fuit vir...era uma vez um homem, Bento por graça e de nome, que desde os primeiros anos da sua infância mostrou sensatez de velho”.

Assim começa a “Vida e Milagres do Venerável Bento”, escrita pelo papa Gregório Magno em 593 ou 594, e a única fonte propriamente dita de que dispomos (para além da Regra), se quisermos saber algo da existência do patriarca dos monges do Ocidente, ou do pai da Europa.

Os santos eram assim: nasciam sábios e maduros, não brincavam, não eram irrequietos, não faziam as tropelias que todos os miúdos de todas as épocas fazem.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

A hierarquia e a respeitabilidade no feudalismo nasceram naturalmente e sem planificação

Senhores feudais: pequenos reis com poder desdobrado do monarca.  Iluminura de: Manessische Liederhandschrift, Der Schenke von Limburg
Senhores feudais: pequenos reis com poder desdobrado do monarca.
Iluminura de: Manessische Liederhandschrift, Der Schenke von Limburg
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Os senhores feudais de grandes territórios tinham um problema semelhante ao dos reis: não podiam estar em toda parte ao mesmo tempo e não existiam vias de comunicação.

Eles então lançavam mão da mesma fórmula, recorrendo aos senhores feudais menores, por um processo análogo: nomeando ou reconhecendo situações criadas.

Esses senhores feudais tinham certa analogia com os “coronéis” da história brasileira, ou certos grandes proprietários nas regiões que outrora estavam sendo desbravadas.

Os senhores feudais de categoria secundária têm um desdobramento do poder do primeiro senhor feudal, e assim, de participação em participação, chegamos às últimas escalas da hierarquia feudal.

Partimos de uma grande fonte de poder que é o rei e encontramos, nas várias escalas da hierarquia feudal, participações sucessivas, que se assemelham aos galhos de uma árvore.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

O que mais prezavam os medievais: a honra

Rainha Petronila de Aragão e o conde de Barcelona Ramão Berenguer
Rainha Petronila de Aragão e o conde de Barcelona Ramão Berenguer
“Ouvi vós todos, nobres burgueses e aldeães, e não fazei nenhum ruído, vós outros que estais pelos cantos! Mas sei que todos ireis ouvir, nobres, burgueses e aldeães, com a maior atenção, pois vos falarei da Honra”.

Falava-se da Honra, cantava-se a Honra – pois acabo de citar o início de um poema do século XII, e tais poemas, consagradas à Honra, substituíram, em grande parte, o jornalismo hodierno.

Falava-se a todos da Honra, ao povo como aos Barões, e todos, aldeães como nobres, tornavam-se atentos e admirados quando se falava da Honra.