domingo, 5 de fevereiro de 2017

A França povo eleito desde o batismo,
peça chave da ordem medieval

O batismo de Clóvis, Mestre de Saint-Gilles (século XV), National Gallery of Art, Washington
O batismo de Clóvis, Mestre de Saint-Gilles (século XV),
National Gallery of Art, Washington
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






O povo franco foi o primeiro a se batizar em bloco.

Seu rei Clóvis se converteu após a aparição miraculosa de uma Cruz no céu durante a batalha de Tolbiac.

Veja mais sobre essa batalha: O milagre de Tolbiac e a conversão da França

A aparição mudou o rumo do combate que, antes do milagre, se encaminhava para um desastre dos francos.

O rei então pediu a catequese o batismo. Quando o bispo São Remígio pregava a Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo ao bárbaro Clóvis e seus homens batiam suas lanças no chão e exclamavam: “Ah! Se eu tivesse estado lá com meus francos!”

São Remígio batizou Clóvis em Reims.

Na hora de se aproximar à pia batismal, o rei perguntou maravilhado: “Meu pai, isto já é o Céu?”.



Santa Joana d'Arc. Primeira estátua equestre.  Emmanuel Frémiet, 1874, Place des Pyramides, Paris.
Santa Joana d'Arc. Primeira estátua equestre.
Emmanuel Frémiet, 1874, Place des Pyramides, Paris.
Na hora de São Remígio ungi-lo rei, uma pomba trouxe um santo e misterioso óleo.

Com esse óleo foram sagrados desde então os reis legítimos da França, até Carlos X no século XIX inclusive.

A França católica é a “filha primogênita da Igreja”.

Os Papas reconheceram este singular privilégio.

Por ocasião do decreto dos milagres de Santa Joana de Arco, São Pio X fez seus os elogios expressos por seu antecessor Gregório IX em carta ao rei São Luis IX:

“Deus ao qual obedecem as legiões celestes, tendo estabelecido aqui embaixo reinos diferentes de acordo com as diversidades de lugar e de climas, tem conferido a muitos governos missões especiais para o cumprimento dos seus desígnios.

“E como outrora preferiu a tribo de Judá de entre os outros filhos de Jacó, e a dotou de bênçãos especiais, assim elegeu a França, preferindo-a de entre todas as outras nações da terra, para a proteção da Fé católica e para a defesa da liberdade religiosa.

“Por isto, a França é o reino do próprio Deus, e os inimigos da França são os inimigos de Cristo”.



AS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.