quinta-feira, 29 de maio de 2008

São Domingos fundou a Inquisição?

É verdade que, como dizem não raros historiadores dominicanos, São Domingos de Gusmão foi o primeiro inquisidor. Aliás, o próprio Papa Sixto V se fez eco dessa opinião na bula de canonização de São Pedro de Verona (1588)...

O Papa Inocencio III fez então São Domingos, fundador da Inquisição na Espanha?

Santos serviram à Inquisição?

Os Papas a criaram e difundiram para o bem da Igreja?

VEJA UM DOCUMENTADO ARTIGO SOBRE A INQUISIÇÃO OS PAPAS E OS SANTOS

Desejaria receber atualizações gratuitas de "Glória da Idade Média" em meu email

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Origem medieval da Solenidade de Corpus Christi

Um dia, em plena Missa, ao partir a Sagrada Forma, saiu dEla sangue que empapou o corporal.Pelo fim do século XIII, na Abadia de Cornillon, em Lieja, Bélgica, nasceu um Movimento Eucarístico que deu origem à Exposição e Bênção do Santíssimo Sacramento, o uso dos sinos na elevação na Missa e a própria festa do Corpus Christi.

Em 1263, ou 1264, o Papa Urbano IV estava em Orvieto, ao norte de Roma. Numa localidade vizinha de nome Bolsena, um sacerdote duvidava que a Consagração fosse real.

Um dia, em plena Missa, ao partir a Sagrada Forma, saiu dEla sangue que empapou o corporal.


Veja a história completa da festa de Corpus Chisti.

Desejaria receber atualizações gratuitas de "Glória da Idade Média" em meu email

domingo, 4 de maio de 2008

Literatura medieval: a luz da verdade com um sorriso encantador

A era medieval foi pródiga em contos e lendas. Nisto não foi, aliás, nem a primeira nem a última. Persas, chineses, gregos e romanos, para citar só eles, criaram admiráveis narrações míticas ou literárias.

Na Renascença multiplicaram-se os poetas, de moral aliás dúbia ou escandalosa. Os séculos XVII e XVIII viram muitos romances mais bem libertinos. O século XIX encheu-se de literatos exímios mas céticos ou ateus.

Mas a Idade Média teve um talento peculiar para encantar e ensinar. Para mostrar as realidades mais concretas da terra e ligá-las com as mais altas sublimidades do Céu.

Nos contos e lendas medievais, a força e a delicadeza, a rudeza e o requinte, o vigor e a doçura, o terra-terra e o sobrenatural, a natureza e a Fé, o humano e o divino, se encontravam harmonicamente, cada um no seu lugar.

Essas narrações apresentavam verdades profundamente racionais por vezes sob os invólucros de uma admirável fantasia. Por isso, seus ensinamentos traziam uma ordem e uma paz que inebria e conquista as almas.

Veja-se, por exemplo, esta história do senhor feudal criminoso, o ermitão piedoso e um misterioso barrilzinho...

CLIQUE AQUI PARA LER A NARRAÇÃO

Desejaria receber atualizações gratuitas de "Glória da Idade Média" em meu email